Potencialização da luz.

Exercício: potencialização da luz – a reprogramação da memória celular – trecho do livro: VIDA INFINITA – Horácio Frazão.

 

”   … Existe um princípio cinético da mente quântica: toda a informação que eu pulso antes de dormir, ao me desligar, entra em looping.  Ou seja, você vai passar as oito horas de sono potencializando luz no seu sistema. Além de transformar a sua mente, com o tempo isso  vai desativar todas as suas memórias em nível celular. Trata-se de reprogramação de memória celular, na qual você desativa a informação de entropia que está registrada no nível da célula. São informações de um passado que você viveu, no qual desenvolveu um trauma ou um padrão negativo que estão ainda em níveis celulares, ativos e repercutindo. Esta prática, apesar de simples, gradualmente desativa as memórias celulares.

Qualquer memória negativa no seu sistema é antinatural. O que faz com que a natureza do seu ser se imponha é o veículo da luz – grave bem isso. Essa é uma luz espiritual ou quântica. Não é a luz física do abajur, mas uma luz interna que você gera.

O exercício consiste em simplesmente deitar e pulsar luz mentalmente. Ao mesmo tempo em que você mentaliza (ou informa luz, em termos quânticos), tente imaginar e sentir que seu campo mental se enche dessa luz. E você, então, pulsa até se desligar, sem forçar, sem impor nada. É apenas uma sensibilização. É importante que você focalize e volte a atenção para esse centro e pense em luz, num pulsar contínuo e constante. Comece pela cabeça e espalhe pelo corpo inteiro, de dentro para fora até chegar em um ponto em que você sinta seu corpo inteiro banhado em luz.

Tudo o que você informa mentalmente, as células reproduzem holograficamente. Se você pulsa luz, é como se cada célula fosse uma telinha de cinema na qual está sendo projetada aquela informação de luz. É isso que fara sua mente começar a se abrir. Ela precisa se abrir porque o negativo fecha a mente e a limita, a contém, Por isso, este exercício é usado para abrir o mental, expandir e purificar. No momento em que sua mente começa a se abrir, a realidade também se abrirá, porque a forma como você se sente altera a realidade à sua volta. Você abre as possibilidades da sua vida.

É uma prática simples, mas extraordinária. E é necessário praticá-la deitado porque dessa forma, quebra-se a verticalização do consciente e perde-se o controle, no bom sentido. Isso é importante porque você está informando e deixando aquela informação atuar, de forma espontânea e sem julgamentos ou preconceitos.

Não estamos falando de frequências de áudio ou som, como alguns trabalhos que realizo com holofrequências. Trata-se de uma frequência virtual, espiritual, com a qual você vai pulsar a sua mente, sem som. É uma experiência interna de mentalizar luz e sentir a luz expandindo. Você pode dar o comando: “Luz, intensifique!”, como se ela surgisse lá de dentro e expandisse, dando impulso e espalhando-se pelo corpo todo.

A informação da luz tem um impacto muito específico para blindar a sua mente. Você vai notar que ela vai entrar numa nova atividade, não vai mais voltar ou incidir naqueles pensamentos negativos e na tendência de pensar no negativo. E isso faz com que você se abra e essa é a proposta: modificar o funcionamento da sua mente e quebrar o vício pelo negativo.

Essa prática vai ajudar você porque o mecanismo está baseado num modo de transformação. Você precisa se libertar para então libertar os outros de você. É preciso aceitar que o melhor que as pessoas podem ser é aquilo que elas são. E você não tem o direito de interferir, caso não seja solicitado – por mais construtiva que possa ser essa interferência. Você precisa dar espaço para que as pessoas possam ser o que são, mesmo que o melhor delas seja insistir na postura que você considere ilógica e julga negativa. Essa prática vai deixá-lo mais em si mesmo e, talvez, o seu campo repercuta silenciosamente com essa nova informação nos campos dos outros. Tanto que pode inspirá-los, inclusive, para gerar um insight. Pode ser que elas passem a entender e até busquem a sua ajuda.

O princípio é esse: uma das formas de se tornar permeável ao mundo, em primeiro lugar, é aceitar que o melhor que o mundo pode ser é isso mesmo que conhecemos. E eu não preciso que o mundo mude para que eu fique bem. Não se pode colocar o próprio bem-estar à mercê de algo externo. Não se pode condicionar o seu bem-estar ao aprimoramento de outra pessoa.

É preciso dar espaço para que as pessoas sejam o que elas são. Se elas derem uma brecha e se abrirem para interagir a fim de uma orientação, de uma conversa construtiva, então a ação está liberada. Isso pode ser atingido à distância também. É uma prática muito simples, mas deve ser feita diariamente de forma regular, até você constatar que a sua atividade mental está elevada no positivo. Você vai se surpreender tanto que vai até estranhar. Você vai se pegar em situações nas quais agiria de forma negativa e testemunhar a mudança. Você vai ficar tranquilo.”

 

Fonte: livro Vida Infinita – Horácio Frazão.